Deputados aprovam abertura de processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel

Wilson Witzel afirmou que vai demonstrar que seu governo não foi tolerante com irregularidades apontadas no processo que será julgado. (Foto: Bruna Prado/Getty Images)

Os deputados estaduais do Rio de Janeiro, aprovaram nesta quarta-feira (10) a abertura de processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel (PSC). A decisão foi tomada durante sessão virtual da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) e dos 70 deputados presentes na sessão, 69 votaram pela abertura do processo.

Apesar de deter o poder de decidir monocraticamente, o presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT) afirmou que preferia "tomar essa decisão com vossas excelências" em votação simbólica. Ao todo, foram protocolados 14 pedidos de impeachement contra Wiltzel, dos quais três, incluindo o aprovado nesta quarta, teriam mais chances de avançar na Casa, enquanto os outros devem ser arquivados.

O escolhido por Ceciliano, foi protocolado pelos deputados Luiz Paulo e Lucinha (PSDB). Eles acusam que houve crime de responsabilidade em ações do governador apuradas na Operação Placebo, realizada pela Polícia Federal em 26 de maio por indícios de desvios de recursos públicos destinados à saúde pública no combate ao coronavírus.

Já os outros dois pedidos que devem avançar na Casa, foram apresentados por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e liderados por Doutor Serginho (Republicanos); e outro pela bancada do PSOL. 

Em rede social, o governador Wilson Witzel, disse ter recebido a aprovação do pedido de impeachment com espírito democrático e se diz absolutamente tranquilo sobre a sua inocência. Wiltzel afirmou ainda, que vai demonstrar que seu governo não foi tolerante com as irregularidades apontadas no processo que será julgado. "Recebo com espírito democrático o início da tramitação do processo de impeachment pela Alerj. Estou absolutamente tranquilo sobre a minha inocência. Humildemente, demonstrarei que nosso governo não teve tolerância com as irregularidades elencadas no processo que será julgado", escreveu.

Com a aprovação pela Alerj, Witzel terá o prazo de 10 sessões após a publicação no Diário Oficial do ato do presidente da Alerj dando prazo de 48hs para que os partidos da Casa indiquem representantes para a Comissão Especial que irá analisar a admissibilidade da denúncia. A denúncia terá que ser lida em plenário, só depois, passa a contar o prazo para a defesa do governador se manifestar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial