8 de set. de 2018

Suspeito de agressão a Bolsonaro ficará isolado em presídio federal de Campo Grande

Adélio Bispo de Oliveira foi transferido no começo da manhã deste sábado. (Foto: PM-MG/Divulgação)
Adélio Bispo de Oliveira, 40 anos, preso por esfaquear o candidato à presidência pelo PSL Jair Bolsonaro, na tarde de quinta-feira (6), em Juiz de Fora (MG), está sendo transferido para o presídio federal de Campo Grande (MS). A chegada está prevista para o final da manhã de hoje (8).

Segundo o Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), a cela onde Bispo será instalado é individual, tem aproximadamente 7 metros quadrados, com cama, banco, escrivaninha, prateleiras, vaso, pia e chuveiro. Ele ficará isolado, em uma ala destinada a réus colaboradores e presos protegidos pela justiça, ou com risco a integridade física.

Cela em que Adélio Bispo ficará no presídio federal de Campo Grande é semelhante ao da foto acima. (Foto: DEPEN/Divulgação)

De acordo com o Depen, Adélio terá direito a 6 refeições diárias. O cardápio varia entre arroz ou massa (macarrão, lasanha, nhoque) salada, feijão, farofa e carne (de frango, peixe, bovina ou suína), refeição acompanhada de refresco.

Ele receberá enxoval completo: camiseta manga curta e longa, calça, agasalho, tênis, sapato, lençol, toalha, travesseiro. Receberá também material de asseio como sabonete, desodorante, escova e pasta de dentes, papel higiênico, e produtos de limpeza para higiene interna da cela, que tem o uso obrigatório. Todo o material que os internos utilizam são fornecidos pela unidade.

O presídio federal de Campo Grande tem capacidade para 220 presos. Hoje, tem aproximadamente 120 detentos instalados, monitorados 24 horas por 200 câmeras, muitas delas instaladas em locais que os presos desconhecem.

Neste momento, Adélio não terá direito a visitas. Após 20 dias da triagem, poderá receber familiares até terceiro grau ou esposa, no pátio, onde será monitorado. Para as visitas, é necessário um cadastro, com a apresentação de documentos como certidões da justiça criminal estadual e federal, de onde o visitante viveu nos últimos cinco anos, além de comprovantes de residência e identidade.

Parentes de 4° grau e amigos, após o mesmo cadastro, somente em parlatório, ou seja, sem contato físico com o detento, assim como as conversas com os advogados.

O ataque a Bolsonaro

Adélio foi indiciado pela Polícia Federal (PF) pelo crime de "atentado pessoal por inconformismo político" com base no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional por dar uma facada no candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro na tarde do dia 06 de agosto. Por essa acusação, ele pode ser condenado a uma pena de 3 a 10 anos de prisão.

A transferência de Adélio Bispo de Oliveira para Campo Grande foi determinada pela Justiça Federal durante a audiência de custódia, na tarde desta sexta-feira (7) em Juiz de Fora (MG).

O candidato foi atendido em Juiz de Fora (MG) e transferido para o hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP) onde está se recuperando.





*Por: Jaqueline Naujorks, G1MS, Campo Grande

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

+ LIDAS

CONTATOS

Sede: Rua Tarauca, 240 – Conjunto Santarém – Potengi – Natal – RN – Cep. 59124-550

Redação e Comercial: (84) 98177-1709 - contato@rodrigoklyngerr.com.br