Governador de SP anuncia fim do trabalho de buscas dos bombeiros no prédio que desabou

Bombeiros trabalharam 13 dias nos escombros do Largo do Paissandu. (Foto: Reprodução/TV Globo)
O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), esteve no local do desabamento do prédio Wilton Paes de Almeida, no Largo do Paissandu, no Centro de São Paulo, e anunciou o fim das buscas dos bombeiros após 13 dias de trabalho.

“A gente não tem a expectativa de mais nada, o máximo que a gente pode fazer do ponto de vista de profundidade é essa. O resto [dos corpos] não deve ter mais existência, deve ter sumido junto com toda a situação, porque é muito calor e o corpo desaparece praticamente, é comum nesse tipo de tragédia”, afirmou.

De acordo com o governador, a Prefeitura vai definir o que fará com os escombros agora. “Toda essa terra que está fora vai entrar pra dentro daquele buraco para tentar estabilizar o terreno e permitir que todos esses lugares aqui em volta fiquem dentro do possível mais normais. Daqui pra frente a Prefeitura tem que dar uma destinação ao terreno”, afirmou.

“A partir de agora a gente entrega à Prefeitura para que ela possa dar um destino melhor da área, já que a área é federal. O prefeito já me disse que vai requisitar a área, a gente vai estudar a questão dos prédios laterais, tem três prédios que estão interditados"

“Os últimos que foram identificados foram os gêmeos, já confirmados. As únicas vítimas crianças que existiam foram os gêmeos que o IML já identificou pelo setor de antropologia pelos restos mortais dos meninos”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Mágino Alves.

As buscas por quatro vítimas foram encerradas. São elas:

  • Selma Almeida da Silva, 40 (mãe dos gêmeos);
  • Eva Barbosa Lima, 42;
  • Walmir Sousa Santos, 47;
  • Gentil de Souza Rocha, 53.

Max Mena, o comandante do Corpo de Bombeiros Max Mena confirmou o encerramento das buscas pelos desaparecidos na manhã deste domingo.“Nós temos ainda quatro pessoas que ainda não conseguimos encontrar ou ser identificadas positivamente pelo Instituto Médico Legal”, declarou.

Cerca de 1.700 homens do Corpo de Bombeiros trabalharam nos escombros do edifício revezando turnos de 12 horas, inclusive bombeiros do interior de São Paulo e alunos do curso de formação.

Sobre as famílias que permanecem acampadas no largo Paissandu, França disse que foi oferecido o aluguel-social no valor de R$ 1.200 no primeiro mês, mais R$ 400 mensais, e que moradores do prédio permanecem no local para tentar pressionar a administração pública para furar a fila da habitação. “É para que elas possam encontrar um local provisório até que elas possam encontrar unidades novas. Tem que lembrar que tem muita gente na mesma fila, não é justo tirar pessoas que estão na fila há anos, temos que encontrar uma solução para dar mais agilidade nas entregas”, afirmou.

Identificados

A Polícia Técnico-Científica identificou os restos mortais dos irmãos gêmeos Wendel e Werner, de 10 anos, informou a Secretaria da Segurança Pública (SSP) neste sábado (12). Os corpos dos meninos foram achados na quarta-feira (9), no local do desabamento. A mãe deles, Selma Almeida da Silva, de 40 anos, não foi localizada.

Também foram identificados Francisco Lemos Dantas, de 56 anos (identificado na sexta-feira, 11 de maio) e Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro, de 39 anos (identificado pelas digitais em 4 de maio).



*Por: G1 SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial