Bala é encontrada em frente ao colégio onde bebê foi atingido na Zona Sul do Rio

Policiais civis realizaram perícia no local nesta quarta-feira (16). (Foto: Lívia Torres/G1)
Policiais da 9ª DP (Catete) levaram para delegacia um projétil encontrado na calçada do Colégio São Vicente de Paulo, no Cosme Velho, na Zona Sul do Rio, durante a reprodução simulada do caso do bebê atingido por um tiro no colo da mãe . A mãe do bebê participou da reconstituição, que aconteceu na tarde desta quarta-feira (16). Um fotógrafo da imprensa foi quem encontrou a bala no chão.

Os policiais usaram uma boneca para representar a criança, que segue internada. De acordo com o Centro Pediátrico da Lagoa, a expectativa é a de que ela saia do Centro de Tratamento Intensivo em 24 horas e vá para o quarto.

Na noite desta terça (15), o bebê fez uma cirurgia que durou pouco mais de duas horas para a retirada da bala do ombro.

Os médicos conseguiram retirar a bala completamente e isso vai possibilitar que a polícia verifique qual o calibre da arma e ajudar a identificar de onde partiu o disparo. Segundo a equipe médica que participou da cirurgia, tudo correu bem e o estado de saúde do bebê é bom. Ainda segundo os médicos, ele já está movimentando os braços e as pernas.

O pai do bebê usou uma rede social para desabafar. "Tristeza é o sentimento que me assola nesse momento, tristeza pelo que nossa sociedade está passando, tristeza por não ter nenhuma perspectiva que as coisas melhorem no curto, médio e longo prazo. Tristeza por acreditar que não existe lugar seguro no Rio de Janeiro, que nem na escola e nem no aconchegante colo da mãe nossos filhos estão livres do perigo", escreveu o pai na madrugada desta terça.

A mãe do bebê também foi para as redes sociais e compartilhou o desabafo. Ela também agradeceu por estar tudo correndo bem com o filho e disse não acreditar no que está acontecendo com a família dela.

Exame da bala

O menino de seis meses estava no colo da mãe quando foi atingido no ombro, na noite de segunda-feira (14), por volta das 19h. A mãe esperava a saída do filho mais velho da aula de futebol, no pátio do colégio.

Os outros pais que estavam no local disseram não ter ouvido o som de nenhum disparo. A polícia procura agora saber de onde pode ter partido a bala que atingiu a criança.

A Polícia Militar informou que não havia nenhuma operação naquele momento nas comunidade mais próxima da escola. O tiro também pode ter sido disparado de algum prédio ao redor.

O exame no projétil, retirado do ombro do bebê, poderá indicar a distância da qual foi feito o disparo.



*Por: Lívia Torres, G1 Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial