Segurança do Extra mata jovem com "gravata" em unidade na Barra da Tijuca

Segurança imobilizando jovem com gravata dentro do supermercado Extra, ação levou à óbito Pedro Henrique de 25 anos. (Foto: Reprodução)
O jovem Pedro Henrique Gonzaga, de 25 anos, morreu após receber uma gravata do segurança do supermercado Extra, Davi Ricardo Moreira, dentro da unidade localizada na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, na tarde desta quinta-feira (15).

De acordo com o depoimento do segurança, Pedro Henrique encontrava-se  nervoso e ameaçava matar a todos que estavam no local. O segurança alega ainda, que o jovem falava repetidamente que, "Vou matar! Vou matar!".

A ação que levou à morte de Pedro Henrique, foi gravada por clientes que estavam no supermercado e foram amplamente divulgadas em redes sociais, e mostrava Davi dando um mata leão em Pedro, que chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas acabou morrendo após sofrer uma parada cardíaca.

O segurança Davi Ricardo, foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Ele foi liberado após sua defesa ter pago fiança, o valor não foi divulgado pela autoridade policial responsável pelo caso.

Pedro Henrique, teria problemas mentais e era usuário de drogas, segundo informações de seu padastro. Em seu depoimento, Davi Ricardo disse que antes de tentar imobilizar o rapaz, ele teria se jogado no chão e começou a se debater.

O segurança disse ainda que achou que Pedro Henrique estava passando mal e abaixou para prestar os primeiros socorros, e que ao colocar o rapaz de lado, percebeu que ele estava simulando e que "não tinha nenhum problema".

O advogado da empresa Group Protection (responsável pela vigilância no supermercado Extra e pela defesa de Davi Ricardo), acusou o jovem de tentar roubar a arma do seu cliente e que mesmo depois de, pelo menos, dois minutos imobilizado, os vigilantes justificaram que o rapaz estaria simulando um desmaio.

Para o delegado responsável pelo caso, houve um excesso por parte do segurança Davi Ricardo Moreira, além de uma imprudência do segurança que é treinado para lidar em casos dessa natureza, mas que há poucos elementos que justifiquem que a intenção do segurança era de matar o jovem.

Em nota, o supermercado Extra disse que os seguranças foram afastados e que repudia qualquer forma de violência e está colaborando com as investigações.

Veja o vídeo abaixo:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial