"Não temos qualquer problema com o Grupo Globo", afirma o Fluminense ao desmentir nota do Flamengo sobre transmissão da final do Carioca

Fluminense e Flamengo decidem Taça Rio em meio a polêmicas sobre direito de transmissão da partida, Tricolor tem o direito de transmissão por ser o clube mandante. (Foto: Reprodução/NetFlu)

A final do Campeonato Carioca, que acontece às 21h30 de hoje (8) no Maracanã, encerra uma competição marcada pela interrupção devido ao surgimento do coronavírus e um retorno marcado por polêmicas em torno dos direitos de transmissão, que culminou na rescisão do contrato entre a Rede Globo e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) que teria validade até 2024.

Ao ganhar o mando de campo em sorteio realizado na segunda-feira (6) pela FERJ, o Fluminense ganhou também o direito de transmissão e decidiu após uma consulta à TV Globo, exibir as imagens e áudio da partida na FluTV (canal do clube no YouTube), mas a decisão não agradou ao Flamengo que até então estava transmitindo seus jogos na FlaTV, após ter bancado a Medida Provisória 984/2020 assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, e que determina que os clubes mandantes tem o direito de comercializar com quem quiser e da forma que achar melhor a transmissão da partida.

Após anunciar que exerceria esse direito, ao transmitir na FluTV com o aval da TV Globo, a Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) entrou com uma ação para que a transmissão fosse compartilhada pela FlaTV, antes da decisão ser anunciada, o Flamengo chegou a montar toda uma estrutura de transmissão no Maracanã e em nota chegou a afirmar que o direito de transmissão era do Fluminense, o TJD concedeu ao rubro-negro o direito de transmitir a partida em conjunto com o real "dono" desse direito. 

Em uma segunda nota após decisão do TJD, o Flamengo afirmou que existiria um imbróglio judicial entre Globo e Fluminense e que se a partida não fosse transmitida pela emissora ou pelo clube das Laranjeiras, a transmissão com imagens e áudio seria transmitido na FlaTV, mas essa possível briga com a Globo foi desmentida em nota pelo Fluminense.

"O Fluminense Football Club, sensibilizado com a incomparável sensibilidade e empatia do Flamengo, esclarece que não tem qualquer problema com o Grupo Globo e que todos os brasileiros poderão assistir a partida através da FluTV", ironizou o tricolor carioca.

O clube seguiu afirmando que era mentirosa a ideia rubro-negra de um imbróglio judicial com a emissora, classificando a nota do Flamengo como uma fake news. "A ideia de que há qualquer imbróglio entre o Fluminense e o Grupo Globo é mentirosa e deveria compor o rol de investigações da CPI das Fake News. Logo em seguida o Tribunal da FERJ, de forma ilegal,  deu a liminar para que o Flamengo descumpra a lei", disse.

Ao concluir a nota, o Fluminense ironizou novamente agradecendo ao Flamengo, mas destacando que o clube iria se manter dentro da lei ao transmitir a partida no canal do clube e que ficaria a espera para ver se o rubro-negro iria cumprir aquilo que defendeu, em referência a MP 984. "Agradecemos ao Flamengo, mas nos manteremos dentro da lei. A transmissão cabe ao Fluminense, que a fará e ficamos no aguardo pra ver se o Flamengo cumprirá o que defendeu", concluiu a nota.

Em nota, a TV Globo confirmou que foi procurada pelo Fluminense em consulta sobre a vontade do clube em transmitir a final gratuitamente para todo o público brasileiro em seu canal no YouTube e que a emissora sinalizou positivamente. 

"Em relação à ação julgada hoje pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), que estabeleceu mando compartilhado da final da Taça Rio, a Globo esclarece que na segunda-feira, dia 6, após o sorteio que definiu o Fluminense como mandante da final da Taça Rio, o clube consultou a Globo para se certificar de que não havia impedimento para uma transmissão da partida pela FluTV. A Globo reiterou que o contrato que tinha com a Ferj e os clubes, relativo ao Campeonato Carioca, já havia sido rescindido por quebra de exclusividade. Portanto, o clube estaria livre para transmitir os jogos em plataforma própria ou autorizar a transmissão por terceiros, segundo prevê a MP 984/20, que garante o direito ao mandante da partida".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial