Bombeiros passam a procurar 6 desaparecidos em prédio que caiu em São Paulo

Cinco pessoas já estavam sendo procuradas. (Foto: Amanda Perobelli/Estadão)
O Corpo de Bombeiros passou a procurar nesta segunda-feira (7) mais um desaparecido após o desabamento do edifício Wilton Paes de Almeida, no Centro de São Paulo. O prédio desabou no último dia 1º, após pegar fogo.

Depois que foi encontrado, na última sexta-feira (4), o corpo de Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro, que caiu quando era resgatado durante o incêndio, os bombeiros passaram a trabalhar com a hipótese de outras cinco pessoas nos escombros. Nesta segunda-feira, no entanto, entrou para a lista também Artur Hector de Paula, de 45 anos, que também morava no edifício.

Além do novo procurado, também estão na lista de desaparecidos:


  • Selma Almeida da Silva;
  • Welder, 9, filho de Selma;
  • Wender, 9, filho de Selma;
  • Eva Barbosa Lima, 42;
  • Walmir Sousa Santos, 47.


No fim da tarde, os Bombeiros subiram para 72 o número de pessoas relatadas por moradores como desaparecidas - o que não significa exatamente que estariam no prédio.

Polícia tem mais um registro

A empregada doméstica Zenaide Melo Sousa foi à delegacia na manhã desta segunda-feira (7) para registrar o desaparecimento de Francisco Lemos Dantas, 56 anos, que morava no prédio que desabou no último dia 1.

Diante disso, a polícia começou a investigar o desaparecimento de Francisco, que não consta da lista de pessoas consideradas sumidas pelos bombeiros após a tragédia.

“Ele estava lá com certeza”, disse Zenaide Melo Souza, ex-mulher dele.

Um dos filhos de Francisco e Zenaide falou com a reportagem e disse que conversou com o pai duas horas antes da tragédia. “Eu falei que queria me encontrar com ele lá no prédio, mas ele falou que já iria dormir”, disse o rapaz de16 anos.

Nesta segunda, mais cedo, o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves, informou que a arcada dentária encontrada neste domingo (6) nos escombros do prédio é de Ricardo de Oliveira Galvão Pinheiro. Segundo Alves, o laudo oficial ainda não foi entregue, mas o secretário já recebeu a informação da Polícia técnico-científica.

O Corpo de Bombeiros ainda considera ser possível encontrar sobreviventes. “O Corpo de Bombeiros sempre trabalha com a hipótese de encontrar vítimas com vida”, disse o major Eduardo Drigo nesta segunda-feira (7) ao G1. “Então, até que se chegue ao término do serviço, trabalhamos com essa possibilidade”.

7º dia de buscas

Os bombeiros entraram nesta segunda-feira (7) no 7º dia de buscas e remoção dos entulhos do desabamento do prédio Wilton Paes de Almeida. Durante a madrugada, 35 homens se revezaram separando o entulho retirado da estrutura colapsada.

Desde o desabamaneto, bombeiros se revezam no trabalho 24 horas por dia. De acordo com o comando da corporação, o trabalho de buscas e retirada dos escombros deve durar mais 15 dias, devido à grande quantidade de material.




*Por: Roberto Kovalick, Giba Bergamin Jr. e Glauco Araújo, TV Globo e G1 SP, São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial