Presidente filipino diz que país ‘estaria na merda’ se seguisse Brasil e EUA na gestão da pandemia do coronavírus

Presidente filipino Rodrigo Duterte. (Foto: AFP arquivos)

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, deu uma entrevista nesta quinta-feira (09) em que afirmou que seu país “estaria em uma grande merda” se seguisse os Estados Unidos e o Brasil na gestão da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Para o polêmico líder filipino, seu país é “pobre” e não poderia arcar com uma reabertura em meio a alta de novos casos da doença, como fazem Donald Trump e Jair Bolsonaro.

“Nos EUA e no Brasil, os presidentes são corajosos. Bolsonaro tem dinheiro, ele é tipo o Trump, com a atitude ‘que o diabo os carregue’. Nós somos pobres. Não podemos permitir um pandemônio total. Se nós seguíssemos os exemplos de outros países, reabrir toda a economia e milhares e milhares de novos casos acontecessem, nós estaríamos em uma grande merda”, disse Duterte conforme o portal “Vice”.

Segundo o presidente, a coisa mais importante é que as Filipinas “não têm dinheiro suficiente para lidar com a pandemia” e que é necessário ser bem preciso ao reabrir toda a economia. “Agora, o que realmente aconteceu nesses países [Brasil e EUA] é que eles abriram as suas economias para que o dinheiro chegasse aos cofres do governo e tiveram um pico [de casos]. Eles enfrentam problemas com recaídas”, afirmou ainda segundo o portal.

Duterte é normalmente comparado com Trump e Bolsonaro por ser um representante da extrema-direita, com posições bastante polêmicas em diversos campos. Na pandemia, por exemplo, ele impôs uma dura quarentena com a prisão de quem fosse flagrado furando o isolamento social.

Até a manhã desta sexta-feira (10), as Filipinas registram 52.914 casos de Covid-19 e 1.360 mortes, conforme dados do Centro Universitário Johns Hopkins. (ANSA)



*Por: Ansa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial