Prioridades de Parnamirim, fechar UPA e reabrir comércio

Superlotação fez a direção da UPA de Nova Esperança, em Parnamirim, fechar as portas da unidade. (Foto: Quézia Oliveira/InterTV Cabugi)

Em plena ascensão do coronavírus no município, a gestão do prefeito Rosano Taveira, elencou como prioridades a reabertura do comércio e o fechamento das portas da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Esperança.

O fechamento da UPA, se deu neste domingo (31) e o motivo alegado foi a superlotação da unidade que é porta de atendimento para pacientes com suspeitas da COVID-19, superlotação essa ligada à flexibilização das normas de isolamento social tomadas por Taveira, há uma semana. A unidade contava até ontem, com 26 pacientes internados, desses, 22 eram casos suspeitos e confirmados de coronavírus.

Com o fechamento da UPA, a população de Parnamirim, que fica na Grande Natal, tiveram que se deslocar para a capital, que já vive os efeitos de um colapso eminente com seus moradores superlotando UPA's, Hospital Municipal e Hospital de Campanha. 

De acordo com a secretaria de Saúde de Parnamirim, a UPA de Nova Esperança deve voltar à sua normalidade ainda nesta segunda-feira (1º), além da abertura de 14 dos 44 novos leitos clínicos do Hospital de Campanha do município que também será aberto hoje. A secretaria informou ainda, que só poderá abrir esses 14 leitos do Hospital de Campanha, devido a falta de profissionais, mas que os demais leitos serão abertos gradualmente durante a semana.

O Hospital de Campanha de Parnamirim, não contará com leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial