Carla Zambelli mostra conversas com Moro na CNN Brasil e prints revelam que a deputada ofereceu STF por duas vezes ao ex-juiz da Lava Jato

Prints de conversas entre a deputada federal Carla Zambelli e seu padrinho de casamento, o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro. (Foto: Reprodução/CNN Brasil)
A deputada federal Carla Zambelli (PSL) enviou à CNN Brasil, na noite de ontem (24), prints de suas conversas através do WhatsApp, com o ex-ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro. Os prints da deputada, que tem Moro como seu padrinho de casamento, mostra novamente o que foi revelado pelo ex-juiz com exclusividade no Jornal Nacional, que partiu da parlamentar a oferta da vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) como moeda de troca para Moro aceitar a demissão do ex-diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo e sua permanência no governo do presidente Jair Bolsonaro.

Enquanto Moro só revelou uma tela, em que a deputada se oferece à convencer Bolsonaro de oferecer a vaga que será deixada pelo ministro Celso de Mello em novembro, Carla Zambelli mostrou sua oferta em duas ocasiões.

A primeira investida de seduzir Moro com uma vaga no STF, veio às 18h45 da quinta-feira (23), quando Zambelli fala: "Pelo amor de Deus me deixe ajudar. Vamos amanhã (24) marcar 07h00 com o PR (Presidente da República) lá no Alvorada. A gente conversa e ele lhe garante a vaga no STF este ano", escreveu a deputada ao ex-juiz.

Em seguida, ainda às 18h45, Moro respondeu: "Já falei com ele hoje". Às 18h57, ou seja, doze minutos depois, Moro manda a seguinte mensagem para Zambelli. "Prezada, pode falar com ele, sem problemas". Esse trecho não fica claro que Moro fala sobre a oferta da deputada à vaga no STF, uma vez que no mesmo horário ela questiona se Fabiano Bondignon seria o nome escolhido por Moro para ficar no lugar de Valeixo, e o ex-juiz responde apenas com um "Carla converse lá".

A segunda investida de Zambelli oferecendo o STF como moeda de troca, para Moro aceitar a demissão de Valeixo e não deixar o governo Bolsonaro, foi a mesma conversa que o Jornal Nacional exibiu. "Já fui presa defendendo suas ideias e ideais. Por favor, ministro, aceite o Ramage (em referência à Alexandre Ramagem, que foi escolhido para substituir Valeixo), e vá em setembro (a deputada errou o mês em que abre vaga no STF) para o STF. Eu me comprometo a ajudar, a fazer o JB (Jair Bolsonaro) prometer", escreveu ao ex-juiz.

Moro foi bem rápido na resposta. "Prezada, não estou à venda". Os diálogos divulgados por Carla Zambelli em resposta ao que foi ao ar no Jornal Nacional, só revelou que Sérgio Moro falou a verdade e que o presidente Jair Bolsonaro, mentiu ao dizer que Moro condicionou sua ida ao STF como moeda para aceitar a demissão de Valeixo.

À CNN Brasil, Carla Zambelli atacou Moro, a deputada afirmou que o ex-juiz e seu padrinho de casamento, fez tudo com má intenção, para ter provas. “Não é isso que se responde quando uma pessoa diz que te ajuda a ir ao STF, quando diz ‘nós queremos o senhor no STF’”, continuou. “A resposta dele não combina com nada do que a gente está conversando. Parece que foi tudo muito mal intencionado da parte dele, querendo achar algo para provar depois.”

A deputada afirmou ainda, que não é novidade alguma de que Moro tinha vontade de ser indicado para ser ministro do STF. "Tanto é que a imprensa já falou sobre isso, no Twitter já teve Trending Topic falando ‘Moro no STF”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial