Cúpula do MPRJ se reúne para discutir afastamento de promotora que fez campanha para Bolsonaro

Promotora Carmen Eliza fez campanha para Bolsonaro em 2018, além do caso Marielle, ela atuou no caso Amarildo. (Foto: Reprodução/Instagram)
A cúpula do Ministério Público do RJ (MPRJ) se reuniu no fim da noite desta quinta-feira (31) para decidir sobre um possível afastamento da promotora Carmen Eliza Bastos de Carvalho das investigações sobre a morte de Marielle Franco e Anderson Gomes.

O MP recebeu, ao longo desta quinta, questionamentos sobre o fato de Carmen Eliza ter feito campanha para Jair Bolsonaro na corrida à Presidência da República – como a “Folha de S.Paulo” mostrou nesta quinta-feira (31).

Os pedidos são para afastamento de qualquer investigação que eventualmente envolva Bolsonaro.

A TV Globo apurou que a reunião teve momentos tensos. O afastamento de Carmen Eliza era dado como certo, mas a promotora se recusou a sair do caso - é prerrogativa dos membros do MP decidir em quais investigações desejam atuar.

O G1 pediu um posicionamento do MP, mas até a última atualização desta reportagem o órgão não tinha se pronunciado.

A promotora foi uma das três do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) que participaram de uma entrevista coletiva sobre o caso na quarta-feira (30).

Na ocasião, Carmen Eliza, Letícia Emile e Simone Sibilio afirmaram que o depoimento de um porteiro sobre o que aconteceu horas antes do atentado não condiz com as provas reunidas pelo MPRJ. Especialistas, no entanto, apontam lacunas na perícia (leia mais abaixo).

Campanha para Jair

A reportagem da "Folha" diz que, durante a campanha, Carmen Eliza postou em suas redes sociais fotos e mensagens de apoio a Jair. Em uma delas, a promotora posou com uma camisa onde se lê “Bolsonaro Presidente”.

Em outra postagem, de 1º de janeiro, ela fotografou a cerimônia de posse do presidente e escreveu, como legenda: “Há anos que eu não me sinto tão emocionada. Essa posse entra naquela lista de conquistas, como se fosse uma vitória.”

Carmen também reproduziu uma imagem de texto que incluía: “O Brasil venceu!!! 57,7 milhões! Libertos do cativeiro esquerdopata”, em referência à votação de Bolsonaro no segundo turno.

Ela também postou em sua rede social foto abraçada com o deputado Rodrigo Amorim (PSL-RJ), que quebrou uma placa em homenagem à vereadora assassinada em 2018. Na ocasião, Carmen Eliza estava com a Medalha Tiradentes no peito - a maior comenda do Estado do RJ.



*Por: Marco Antônio Martins, G1 Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial