Queiroz segue atuante e oferece cargos em áudio, diz jornal

Nos áudios, Queiroz afirma ter mais de 500 cargos para indicar na Câmara e no Senado e que indicações não podem aparecer como vínculos com a família Bolsonaro. (Foto: Planalto/Cristiano Mariz/VEJA)
Um áudio revelado pelo jornal O Globo, referente a uma conversa de Whatsapp, indica que o ex-policial Fabrício Queiroz continua tendo influência política e sendo consultado sobre nomeações no Legislativo do Rio de Janeiro. Há oito meses, Queiroz foi exonerado do gabinete de Flávio Bolsonaro, hoje senador e filho do presidente da República Jair Bolsonaro.

"Tem mais de 500 cargos lá, cara, na Câmara, no Senado... Pode indicar para qualquer comissão, alguma coisa, sem vincular a eles (família Bolsonaro) em nada. Vinte continho pra gente caía bem, pra c..., caía bem pra c... Não precisa vincular a um nome", diz Queiroz, no áudio de junho deste ano. O jornal não informa a quem a gravação de voz foi destinada.

"Pô, cara, o gabinete do Flavio faz fila de deputados e senadores lá, pessoal pra conversar com ele. Faz fila. P..., é só chegar, meu irmão: 'Nomeia fulano aí, para trabalhar contigo'. Salariozinho bom desse aí cara, pra gente que é pai de família, p..., cai como uma uva (sic)", completa, no áudio mostrado pelo O Globo.

Queiroz afirmou ao O Globo que mantém influência política por ter "contribuído de forma significativa na campanha de diversos políticos no Estado do Rio de Janeiro".

Procurado pelo jornal, Flavio Bolsonaro negou aceitar indicações do ex-assessor e diz que não tem contato com ele desde 2018.

Queiroz vem sendo investigado pelo Ministério Público do Rio. Ele é suspeito de praticar a 'rachadinha' (prática pela qual servidores comissionados devolvem parte dos salários). O ex-policial trabalhou no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de 2007 a 2018.




*Por: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial