Corpo de Iasmin Lorena é sepultado após 56 dias aguardando identificação por DNA

Iasmin Lorena foi assassinada e teve seu corpo enterrado pelo pedreiro Marcondes Gomes, atualmente preso em Alcaçuz. (Foto: Arquivo pessoal)
O corpo de Iasmin Lorena de Araújo, de 12 anos, que foi assassinada pelo pedreiro Marcondes Gomes da Silva, de 45 anos, em março na comunidade da África, Zona Norte de Natal, foi finalmente sepultado por parentes e amigos no final da manhã de hoje (19), após uma espera de 56 dias.

A demora tem uma explicação, o resultado de um exame de DNA que confirmou que o cadáver encontrado enterrado em uma casa na rua onde Iasmin morava, era mesmo o da menina. O Rio Grande do Norte não possui um laboratório que faça o exame e por isso a demora na realização do exame que identificou a identidade da menina, que precisou ser realizado no Ceará. O laudo com o resultado do exame saiu na semana passada.

A família de Iasmin Lorena foi chamada para liberar o corpo nesta terça e o sepultamento aconteceu por volta das 11h no cemitério da Redinha. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial